Presidente da CPI da Covid, diz que Pazuello deve ser convocado novamente


O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), disse neste sábado (22) que o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello deve ser novamente convocado para prestar depoimento. Aziz argumenta que a oitiva com o general foi “hilária” e que, protegido por um habeas corpus, Pazuello mentiu aos senadores.

Um requerimento para reconvocar Pazuello já foi apresentado e deve ser votado na próxima semana pelos integrantes da CPI. A realização de um novo depoimento depende da aprovação desse pedido.

O ex-ministro falou à comissão nas últimas quarta (19) e quinta-feira (20). Na avaliação de senadores, Pazuello buscou principalmente preservar o presidente Jair Bolsonaro. O relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), apontou 15 mentiras e contradições do depoimento.

Para Aziz, Pazuello aproveitou o habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para "mentir" sem o risco de ser preso - testemunhas têm o dever de falar a verdade em CPIs.

"Ele [Pazuello] estava com um habeas corpus debaixo do braço, que permitia que ele falasse o que ele quisesse, que nada poderia acontecer com ele. Por isso que ele está sendo reconvocado, vai ser reconvocado na quarta-feira”, afirmou o senador durante live promovida pelo Grupo Prerrogativas.

“A gente espera que a gente possa trabalhar sem a ingerência do Supremo nessa questão, até porque, se o ministro [Ricardo] Lewandowski assistiu [ao depoimento na CPI], ele disse 'não posso dar de novo habeas corpus pro cara mentir'”, afirmou Aziz.


Fonte: G1

Sem título-2.png