Facebook derruba live em que Bolsonaro associa Aids a vacina


O Facebook e o Instagram retiraram do ar uma live feita pelo presidente Jair Bolsonaro em que ele afirma falsamente que as vacinas anti-Covid causam Aids. As fake news foram citadas durante a última transmissão feita na quinta-feira (21).

A rede social afirmou que suas políticas não permitem que alegações de que os imunizantes contra o coronavírus Sars-CoV-2 causam doenças ou mortes sejam publicadas.


Durante a live, Bolsonaro leu duas notícias dos sites Stylo Urbano e Coletividade Evolutiva, em que ambos divulgavam um estudo falso de que as vacinas provocavam a síndrome da imunodeficiência adquirida no Reino Unido.

Durante a live, o próprio presidente disse que não ia ler a "notícia" toda porque não queria que a transmissão caísse. Segundo o mandatário, ele poderia "ter problemas".


Essa é a primeira vez que o Facebook derruba um vídeo do presidente por conta da pandemia.


Ao contrário do que disse Bolsonaro, a Aids é transmitida apenas por sangue, sêmen ou fluídos vaginais contaminados.

O presidente é contrário à vacina da Covid-19 e já se manifestou por diversas vezes com notícias falsas sobre os imunizantes. Apesar de ter colocado sigilo de 100 anos em sua carteira de imunização, Bolsonaro disse que não tomará a vacina contra doença. .

Sem título-2.png