CPI da Covid: relator pede o indiciamento de Bolsonaro e mais 65 pessoas e 2 empresas


O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), registrou na manhã desta quarta-feira (20) seu relatório final no sistema do Senado. O texto pede 68 indiciamentos, entre pessoas físicas e empresas. O presidente Jair Bolsonaro é uma delas.


Três filhos do presidente, ministros, ex-ministros, deputados federais e empresários também estão na lista dos pedidos de indiciamento (veja relação completa mais abaixo). Renan vai ler o documento na sessão da CPI, marcada para começar também nesta manhã.

O relator chegou à versão final depois de debates, desde o início da semana, com demais integrantes da cúpula da CPI. Antes do relatório final, foram apresentadas duas minutas. Uma versão preliminar, que vazou no fim da semana passada, gerou divergência entre os integrantes do grupo. Uma reunião na noite desta terça (19) selou o acordo final. No caso de Bolsonaro, o relator pede indiciamento por 10 crimes:

  • epidemia com resultado morte;

  • infração de medida sanitária preventiva;

  • charlatanismo;

  • incitação ao crime;

  • falsificação de documento particular;

  • emprego irregular de verbas públicas;

  • prevaricação;

  • crimes contra a humanidade;

  • violação de direito social;

  • incompatibilidade com dignidade, honra e decoro do cargo.


Sem título-2.png