Confiança da construção cai pelo 4º mês seguido, para o menor nível desde julho


A confiança do setor da construção recuou pelo quarto mês seguido em abril, para 85 pontos, segundo dados divulgados nesta terça-feira (27) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Com a queda, o indicador atingiu o menor patamar desde julho de 200, quando ficou em 83,7 pontos.

"Os dois componentes do indicador [avaliação sobre o momento presente e estimativas para o futuro] reverteram toda melhora registrada a partir de maio de 2020. Houve aumento do pessimismo mas desta-se a deterioração da percepção dos empresários com relação à situação atual dos negócios", apontou Ana Maria Castelo, coordenadora de projetos de construção do FGV/Ibre.


A avaliação sobre o momento atual recuou 3,5 pontos, para 84,3, na quarta queda consecutiva. Já o indicador de expectativas recuou 4 pontos, para 86, no menor patamar desde junho de 2020.

De acordo com o levantamento, o cenário setorial vem piorando desde outubro, refletindo a preocupação com a escassez e, principalmente, elevação dos custos. "O problema persiste e não dá indicações de trégua, atingindo contratos em andamento e dificultando a precificação dos produtos", diz a pesquisadora.

Em abril, houve ainda percepção de piora na demanda, provavelmente decorrente do fechamento dos estandes de vendas em algumas cidades. "Ou seja, a combinação preços de insumos mais elevados e agravamento da pandemia trouxe novamente momentos difíceis para as empresas”, disse Ana Maria Castelo.

Sem título-2.png