Brasileiro conquista terceiro lugar em competição de bike mais extrema do mundo


Foram 25 dias de competição, 346 horas e 19 minutos de pedalada, e uma aventura extrema e emocionante. Fazendo história na Rússia, o ciclista Marcelo Florentino conseguiu colocar o nome do Brasil mais uma vez no pódio e conquistou o terceiro lugar do Red Bull Trans-Siberian Extreme 2018. Ele ficou atrás apenas do alemão Pierre Bischoff, que completou a prova em 315h45m26s, e do dinamarquês Michael Knudsen, cuja marca foi de 333h13m04s.

Velho conhecido do mundo das bikes no Brasil, Mixirica, como Marcelo é conhecido, encarou um dos desafios mais difíceis da sua vida. Pela terceira vez na competição, que é três vezes maior do que o Tour de France e duas vezes a extensão do Race Across America, o ciclista destacou o alto nível dos participantes e os diversos tipos de terrenos e climas encontrados, como terra batida, pedregulhos e muita chuva. Por isso, teve de usar muita técnica, autoconhecimento e perseverança em busca do pódio.


A competição teve ao longo de sua jornada, que iniciou no dia 24 de julho e finalizou nesta sexta-feira (17), 15 etapas. A última delas começou em Khabarovsk, seguiu ao longo do Rio Amur e foi marcada pela emoção. O clima estava em ótimas condições e os últimos cinco ciclistas ainda competindo conseguiram pedalar juntos por grande parte do trajeto, que tinha 768km. As últimas pedaladas aconteceram à noite, a caminho de Ilha Russkiy.

Grande favorito ao título, o russo Vladimir Gusev sofreu com dores no joelho direito e teve de abandonar algumas etapas. Com isso, foi desclassificado e aumentou ainda mais a disputa pelo lugar mais alto do pódio. De modo incontestável e batendo até recorde, o alemão Pierre Bischoff soube dosar momentos de força, resistência e técnica para abrir vantagem no relógio a cada trecho.

Durante a competição, o brasileiro Marcelo Florentino chegou a vencer uma etapa. A quarta parada, de Perm até Ekaterinburg, colocou Mixirica na ponta com tempo de 10h40m39s, um segundo de vantagem para o dinamarquês Michael Knudsen. “Estou muito feliz, pois consegui uma vitória nesta etapa. Queria agradecer a todos da minha equipe que me ajudaram brilhantemente em todos os aspectos”, disse o ciclista paulista, àquela altura.

A competição começou com oito participantes, entre eles: Vladimir Gusev (RUS), Pierre Bischoff (GER), Marcelo Florentino Soares (BRA), Michael Knudsen (DNK), Patricio Doucet (ESP) e Amit Samarth (IND). Porém, na reta final da prova, apenas Pierre Bischoff, Michael Knudsen, Marcelo Florentino Soares, Patricio Doucet e Amit Samarth tiveram condições físicas para finalizá-la.

Para quem quiser rever a trajetória do brasileiro pela Rússia, a Red Bull TV produziu nove episódios especiais, que mostram a jornada dos competidores ao longo do Red Bull Trans-Siberian Extreme 2018. Por lá, é possível encontrar depoimentos de Mixirica e também dos demais competidores.


Confira abaixo os resultados da competição:

Etapa 15: 1. Pierre Bischoff - 26:37:52 2. Michael Knudsen - 26:43:55 3. Marcelo Florentino Soares - 26:51:56 4. Patricio Doucet - 28:48:56 5. Amit Samarth - 32:35:27 Resultado final: 1. Pierre Bischoff - 315:45:26 2. Michael Knudsen - 333:13:04 3. Marcelo Florentino Soares - 346:19:00 4. Amit Samart - 379:51:44 Minor classification Patricio Doucet - 416:32:05

Fonte:RevistaBike

#esporte

RelatoPB

Aqui se fala

© 2016 por "RelatoPB". Orgulhosamente criado por relatopb