Cunha defende em rede social candidatura da filha a deputada federal


Detido no Complexo-Médico Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ) redigiu de dentro da cadeia uma carta que foi publicada nesta sexta-feira (17) por sua assessoria no Facebook na qual ele defende a candidatura a deputada federal de sua filha mais velha, Danielle Cunha (MDB-RJ). Ela vai usar nas urnas o mesmo número que o pai costumava registrar, o 1530.


Em trecho do texto entitulado "Carta à nação brasileira por Eduardo Cunha", o emedebista condenado a 14 anos e 6 meses de prisão por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e evasão de divisas diz que apoia com "veemência" a candidatura da primogênita para uma vaga na Câmara dos Deputados.

"Sua desenvoltura política é notória: jovem, mulher, evangélica, empreendedora, capacitada, com um currículo que fala por si só; ela é muito mais preparada do que eu", descreve Cunha na carta.


"Os meus adversários podem aguardar que ela dará mais trabalho do que eu dei e defenderá tudo o que eu defendi, do interesse da nação e do povo evangélico, como o combate ao aborto, além das suas próprias propostas que debaterá na campanha", complementou o ex-deputado, que autorizou a abertura do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e está preso desde outubro de 2016 pela Lava Jato.


Candidatura de Lula


Em outros trechos do texto publicado na rede social, Cunha também defende o direito de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concorrer novamente ao Palácio do Planalto, embora esteja preso em Curitiba e inelegível com base na Lei da Ficha Limpa por já ter sido condenado por um tribunal de segunda instância. Segundo ele, quem tem que "julgar" o petista é a "população".


Segundo o ex-deputado, ele e Lula - a quem ele trata no texto como adversário político - são um "troféu político da República de Curitiba", referindo-se à força-tarefa da Lava Jato que atua a partir da capital paranaense.

#relatopb

Sem título-2.png