Disputa presidencial: Na Paraíba, Marcondes Gadelha compara Bolsonaro a Fernando Collor


Ao fazer um prognóstico para 2018. o vice-presidente do PSC, ex-deputado Marcondes Gadelha, comparou Jair Bolsonaro, com o ex presidente Fernando Color. Em entrevista a Rádio Arapuã FM, ele afirmou que as eleições de 1989 podem ser comparadas com as eleições de 2018, onde “existem vários candidatos, mas ninguém emplaca”. Marcondes lembrou que em 1989, o então presidenciável Fernando Collor de Melo se colocava como “caçador de marajás” e comparou o perfil ao pré-candidato do Patriotas para 2018, Jair Bolsonaro. Marcondes disse que Bolsonaro e Collor mantêm a mesma linha radical e um perfil semelhante nas formas de falar e nas propostas. – É igual. Só uma coisa mudou, você troca Bolsonaro por Fernando Collor. É o mesmo perfil ideológico, a mesma linha e a mesma maneira de falar. Um dizia que ia caçar marajá e outro quer caçar bandido – disse. Na mesma entrevista, Gadelha afirmou que o ex-deputado federal Eduardo Cunha foi responsável pela impugnação da candidatura de Silvio Santos quando, fazendo parte do Movimento Jovem do então presidenciável Fernando Collor de Melo, buscou certidões que constatavam o não cumprimento de convenções por parte do PMN. – Sabe o que matou a candidatura de Silvio Santos? Esse Eduardo Cunha. Ele era do Movimento Jovem do Collor e aquele cidadão se deu à pachorra de verificar nos cartórios, pegou um jatinho e saiu pegando certidões de que o PMN não tinha realizado nove convenções que a lei exigia para a recondução do seu diretório – disse.

por relatopb

com PBagora

#relatopb

RelatoPB

Aqui se fala

© 2016 por "RelatoPB". Orgulhosamente criado por relatopb