Brasil pode enfrentar novo surto de zika, alerta ONG



Em relatório divulgado nesta quinta-feira (13), a organização de direitos humanos Human Rights Watch (HRW) afirmou que as condições precárias de saneamento e água que contribuíram para um surto do vírus zika persistem no Brasil e deixam o país vulnerável a uma nova epidemia do vírus.


O documento, intitulado "Desprezadas e desprotegidas: o impacto do surto do vírus zika em mulheres e meninas no Nordeste do Brasil", apresenta lacunas nas respostas dadas pelas autoridades brasileiras perante a proliferação da doença.


Segundo a ONG, apesar de o governo brasileiro ter declarado o fim do estado de emergência nacional de saúde pública em maio de 2017, 18 meses após a declaração de emergência nacional, a infecção ainda ameaça o país.


"Os brasileiros podem ver a declaração do Ministério da Saúde sobre o fim da emergência de zika como uma vitória, mas riscos significativos permanecem, assim como as questões de direitos humanos subjacentes que foram expostas", disse Amanda Klasing, investigadora dos direitos das mulheres da HRW.


"Os direitos básicos dos brasileiros estão em risco se o governo não reduzir a infestação do mosquito [Aedes aegypti] no longo prazo, garantindo o acesso aos direitos reprodutivos e apoio às famílias que criam crianças afetadas pelo zika", salientou.


A HRW avaliou que doença não foi contida no curto prazo e ainda é um risco porque o Brasil adota políticas negligentes há anos em relação à oferta de saneamento básico, fator que permitiu a proliferação e a rápida disseminação da doença.


"As autoridades brasileiras devem fazer investimentos há muito atrasados em infraestruturas de água e saneamento para controlar a reprodução dos mosquitos e, assim, melhorar as condições de saúde pública", considera a HRW.


fonte: terra.com

#relatopb

RelatoPB

Aqui se fala

© 2016 por "RelatoPB". Orgulhosamente criado por relatopb