Focos do Aedes Aegypti triplicam em Campina Grande, indica Saúde



O índice de focos do mosquito Aedes Aegypti, que transmite doenças como dengue, chicungunya e febre amarela, triplicou em Campina Grande, segundo um levantamento técnico feito pela 3ª Gerência Regional de Saúde. O mapeamento aconteceu entre os dias 30 de janeiro e 3 de fevereiro.


No levantamento feito no mesmo período em 2016, o índice de focos do mosquito foi de 2,4%. Já o mapeamento deste ano, apontou um aumento para 7,5%, número considerado alarmante pela Gerência de Saúde.


O mapeamento apontou também os bairros que lideraram os números de focos do Aedes Aegypti na cidade: Malvinas, Bodoncogó, Novo Bodocongó e Serrotão, com 12,3% e 12,1%, respectivamente estiveram no topo da lista. Os bairros Jardim Paulistano e Cruzeiro também apresentaram números elevados de infestação com 11,8%.


A 3ª Gerência Regional de Saúde já informou que vai intensificar o combate ao mosquito com os carros fumacês, especialmente nos locais onde terão grande concentração de pessoas por conta do Carnaval e nos bairros onde se identificaram o maior número de focos.


A Gerente do órgão estadual, Tatiana Medeiros, alertou para a importância da populção participar do combate ao Aedes Aegypti. “Se as pessoas não fizerem suas faxinas em casa, não limparem os locais de trabalho de nada vai adiantar o esforço dos órgãos de saúde” explicou.

Foto: reprodução internet

Fonte: g1/paraiba

#relatopb

Sem título-2.png