Mulher Melão faz campanha em prol do topless (veja as fotos)


"O que vai ter de homem 'tarando' nas mulheres fazendo topless... Tudo safado!", disparou Renata Frisson, a Mulher Melão, que apoiou o movimento ToplessinRio na manhã de terça-feira, 20, na praia de Ipanema. Após tirar o sutiã e participar do "toplessaço", a funkeira quis saber a opinião dos banhistas e foi de peito aberto - literalmente - defender o direito das mulheres de ir à praia sem a parte de cima do biquíni.


Para fazer a reportagem, Melão interrompeu uma partida de futevôlei, requebrou ao som improvisado feito por um vendedor ambulante em um alto-falante e arrancou o sutiã logo na primeira entrevista. "Eu ficaria bem feliz, eu adoraria muito (se o topless fosse legalizado)", opinou um banhista.


Como não perde tempo, Melão aproveitou para flertar. Assim que avistou um rapaz deitado debaixo de um guarda-sol, a funkeira não perdeu tempo. "Tá sozinho, gatinho carente? Só vendo os peitinhos?", perguntou ela ao mineiro Rafael. "Só admirando a paisagem", respondeu ele, de olho nos seios de Renata. Mas nem todo mundo aprova a legalização do topless. "A mulher não vai ter sossego para ficar na praia. Vai ser uma muvuca", disse outro entrevistado.


'O importante é termos liberdade para fazer quando quisermos'

A campanha ToplessinRio começou com um evento no Facebook que, após reunir 50 mil pessoas, chegou a ficar oculto na rede por ser alvo de ataques. Pouco depois, a idealizadora Ana Paula Nogueira, de 35 anos, voltou a colocá-lo como público e o movimento seguiu sendo criticado. Segundo ela, a proposta é justamente promover um debate sobre a não-criminalização da nudez feminina e decretar o "fim da repressão policial sobre os corpos".


#sensual

Sem título-2.png