Líder no 1º tempo, ameaçado a Z4 no 2º: Atlético tenta corrigir falhas no fim para buscar título



Na briga pelo título do Campeonato Brasileiro, o Atlético tem perdido pontos preciosos no segundo tempo das partidas. A equipe alvinegra deixou o resultado escapar na etapa final em seis oportunidades. A última delas foi no jogo desse domingo contra o Cruzeiro, quando Robinho marcou o gol que definiu o empate por 1 a 1 a 15 minutos do fim do tempo regulamentar. A queda de rendimento é tão expressiva que, num exercício de imaginação, o Atlético estaria na luta contra o rebaixamento caso apenas os resultados do segundo tempo valessem para a tabela de classificação. Nesse cenário, a equipe alvinegra ocuparia a 15ª posição, com 29 pontos - três a mais que o primeiro time do Z4. Por outro lado, se valessem apenas os resultados do primeiro tempo, o Atlético lideraria a Série A com 51 pontos - cinco a mais que o segundo colocado Palmeiras. Os números são do site Futebol.com. Pontos que fazem falta Além do dois pontos que ficaram para trás no último clássico, o Atlético ainda perdeu outros 12 por conta de gols sofridos no segundo tempo diante de Vitória (1 a 1), Sport (4 a 4), Figueirense (1 a 1), Fluminense (4 a 2) e Cruzeiro (3 a 2, no primeiro turno). "A gente vem conseguindo sair na frente e, às vezes, a gente cede o empate no segundo tempo. Tem acontecido com mais frequência. Estamos nos cobrando muito quanto a isso, pois nesta fase da temporada, tanto no Brasileiro quanto na Copa do Brasil, são jogos decisivos. Temos que matar os jogos. Todo mundo no Brasileiro está disputando alguma coisa, ou na parte de cima ou na de baixo. Os jogos são mais intensos. Quem está perdendo se atira, quem está ganhando tem que se segurar", afirmou Clayton, autor do gol do Atlético no clássico. A queda de rendimento na etapa final é um problema antigo e segue como preocupação para a comissão técnica. O sistema defensivo é o que mais sofre. Dos 35 gols tomados pela equipe, 23 saíram no segundo tempo, contra 12 no primeiro. Apenas Chapecoense e Sport, que foram vazados 26 vezes nos 45 minutos finais, possuem números piores. O Santa Cruz também tomou 23 gols. No ataque, o desempenho na primeira etapa também é melhor que na segunda. Foram 24 gols marcados nos 45 minutos iniciais e 17 nos finais. A queda no nível das atuações no segundo tempo ajuda a explicar a diferença real de cinco pontos para o líder Palmeiras e de quatro para o segundo colocado Flamengo. O clube alvinegro terá a chance de melhorar o retrospecto na Série A apenas no próximo domingo, às 18h30, contra o Internacional, no Independência. Antes, tem compromisso pela volta das oitavas de final da Copa do Brasil, contra a Ponte Preta. A primeira partida, no Mineirão, terminou empatada por 1 a 1.

#esporte

RelatoPB

Aqui se fala

© 2016 por "RelatoPB". Orgulhosamente criado por relatopb